SAT Costa do Dendê

O Sistema Agrícola Tradicional – SAT Costa do Dendê da Comunidade Caxuté, no Baixo Sul da Bahia, detém um conjunto de saberes ancestrais da cultura Bantu-Indígena, que são aplicados em práticas agrícolas, no cultivo do dendê e agricultura de subsistência, em práticas litúrgicas e ritualísticas, que  fortalece e propaga o cultivo e uso de ervas medicinais e folhas sagradas, e em práticas simbólicas, fortalecendo e difundindo o seu patrimônio tangível e intangível.

O SAT é constituído por comunidades tradicionais,  representantes da cultura afro indígena, reúne Povos de Terreiro, Povos Indígenas,  Quilombolas, Mateiros, Pescadores Artesanais, Marisqueiras, Ribeirinhos, Praieiros,  Jangadeiros e Ciganos, que mantém vivo o cultivo e beneficiamento do dendê, de ervas medicinais, ervas sagradas e agricultura de subsistência como mandioca, feijão, milho, hortaliças, frutas, integrando 250 famílias aproximadamente.

Está localizado na Costa do Dendê, Baixo Sul da Bahia, região onde a Mata Atlântica foi bastante devastada devido a fatores como a exploração madeireira, construção naval e civil, expansão das fronteiras agrícolas da seringueira, cravo da índia, pimenta-do-reino, guaraná, que contribuíram para acelerar o desmatamento.

Segundo o Censo Demográfico (IBGE,2010) são cerca de 285 mil pessoas vivendo na região. As atividades rurais são bastante significativas, a base da economia provém de atividades ligadas a agricultura diversificada, enquanto nas regiões litorâneas, destaca-se a pesca e o turismo. Na região do Baixo Sul, a produção e beneficiamento do dendê são responsáveis por cerca de 3.000 empregos e parte significativa da renda regional. Esta produção é responsável pelo fornecimento de azeite de dendê consumido na produção de acarajé em Salvador e Costa do Dendê.